Serviço Eclesiástico Sábio!!!


Quando optamos por fazer algum serviço em nossas igrejas, precisamos fazê-lo em honra ao Senhor, não por obrigação ou na tentativa de mostrar nosso valor. O serviço realizado na igreja não é algo a ser solicitado, mas uma coisa que os cristãos devem sentir-se livres para oferecer. O serviço jamais deverá ser feito por coação.
Infelizmente muitas igrejas ped
em que os membros sirvam de maneiras não saudáveis. Elas usam força, culpa, manipulação e outros tipos inadequados de pressão. Dizem coisas assim: * Se Jesus fosse aluno desta classe, então você gostaria de ser professor?
* Se eu estivesse pedindo a Jesus, você acha que ele diria não às necessidades destas crianças?


* A igreja não está aqui para satisfazer suas necessidades. Você precisa satisfazer as necessidades da igreja.


* Você sabia que é a única pessoa de sua vizinhança que não está ativamente envolvida em algum ministério da igreja?


SE VOCÊ ESTIVER OUVINDO AFIRMAÇÕES COMO ESSAS POR MUITO TEMPO NA IGREJA, cuidado! Isso é manipulação, não o toque do Espirito Santo, é uma indicação de religiosidade doentia, não de saúde espiritual.


Igrejas doentes exigem que seus membros sirvam, sirvam, sirvam e sirvam cada vez mais. Esse nível excessivo de serviço logo se torna opressivo. O serviço opressivo não coloca ninguém na galeria dos heróis espirituais.


O verdadeiro serviço é aquele apresentado pela igreja sem pressionamento mas oferecendo diversas oportunidades para o serviço, onde aprendamos a desenvolver a nossa salvação e descobrindo os dons que cada um recebeu do Senhor para grandes realizações; E isso dentro do que nos é proposto para servirmos com alegria. Nunca esqueçamos que é o Espirito Santo é que coloca a paixão em nosso coração a fim de que sirvamos motivados e conduzamos tantos quantos por ventura compreendam o seu chamado para o serviço, mas nunca sendo imposto por quem quer que seja.
Sejamos BEREANOS em tudo e que a graça de Cristo inunde nosso ser.
Shalon Adonai
COMPARTILHAR:

+1

Nildo Nascimento / Pr. Gilmar Santos

Nildo Nascimento

Remidos o filme