A IGREJA PRECISA CRESCER (1Cor 3.6; At 2.27)


 A igreja viva, saudável, operante e cheia do Espírito, cresce. Já uma doente, fria, paralisada e mundana, míngua. Isso ocorre porque quem dá o crescimento é Deus(1Cor 3.6;At 2.27).  Todavia o crescimento que o Senhor dá depende de plantar e regar. Estas são obras exclusivas da igreja.                                                     Se uma igreja não planta (evangeliza) e não prega (discipula), como ela pode crescer? É impossível!  Uma igreja que não evangeliza, definha-se.

                                                                                                                                                                    Muitos procurando uma rota de fuga, respondem com ares de sabedoria teológica: “ Deus não está interessado em quantidade, e sim em qualidade”.                                       Estes, trafegando na contramão, chocam-se frontalmente contra a palavra de Deus.                                                                                                                                        Qualidade gera quantidade. Uma igreja que leva Deus a sério e trabalha com poder e unção dá muito fruto. Os que semeiam com lágrimas voltam com abundantes feixes nas mãos.                                                                                                                                                                        Agora que a igreja não incorra em cometer dois extremos perigosos:                                                                                                                numerolatria: muitos lideres, influenciados pelo pragmatismo, buscam o crescimento a qualquer custo.                                                                                        A verdade não pode ser sacrificada se obter resultados.                                               A quantidade não pode acontecer em detrimento da qualidade.                                                O Senhor Jesus nos ordenou à igreja fazer discípulos e não admiradores.                                                                                                                                        Numerofobia: Muitas igrejas tentam disfarçar o seu fracasso espiritual, afirmando que Deus não está interessado em quantidade e sim em qualidade.                                                      Não cremos em qualidade estéril; em qualidade sem frutos.                                                   Um organismo vivo se reproduz. Uma igreja viva e saudável cresce em graça e em número.  Em face dessas considerações preliminares, chegamos à conclusão que a igreja precisa crescer. Mas, crescer como?                                                                                                                                                                                                        1. Crescimento para cima.  A igreja precisa crescer na comunhão com Deus, na obediência à palavra, na vida abundante de oração, na santificação, na adoração e no serviço. Ela necessita conhecer mais a Deus, deleitar-se mais nele e ter mais prazer em sua vontade. Deve amá-lo mais e buscar com primazia a santidade do seu nome, os interesses do reino e a realização do seu querer.                                                                                                                      2. Crescimento para fora.                                                                                                                                                                                                                 A igreja necessita crescer em número, arrebatar as almas que estão indo para o inferno, lançar suas redes sob a ordem de Jesus. Ela precisa evangelizar, ganhar almas, discipular, alargar o espaço da sua tenda. Não pode ser omissa, covarde, muda, trancada entre quatro paredes, preocupada só consigo, bastando-se a si mesma.                                                                                                                                                           A igreja deve ir aos confins da terra, fazer discípulos de todas as nações, pregar a cada criatura, alcançar todos os povos, tribos, línguas e nações, afim de que a glória de Deus seja vista em toda a terra e todos os povos possam adorar ao Rei da glória.                                                                                                                                                   3. Crescimento para dentro.                                                                                                                                                                                                       A igreja precisa crescer em comunhão, em amor, em harmonia. Devemos nos amar como Cristo nos amou. Devemos ter um só coração, uma só alma, um só entendimento e um só sentimento. Temos de ser família em que reine a paz de Deus, o amor de Jesus e alegria do Espírito Santo. O amor tem três graus distintos.  O primeiro é amar o próximo e aborrecer o inimigo. Essa é a lei da justiça.  O segundo é amar ao próximo como a nós mesmos; nem menos nem mais. Esse é o amor que não corre riscos nem se sacrifica em favor da pessoa amada. Mas o terceiro grau é amar o próximo como Cristo nos amou. O amor de Cristo foi sacrificial. Ele nos amor e se entregou por nós. Ele nos amou apesar de nós. Ele morreu por nós. Ele nos amou mais do que a si mesmo. Somente esse amor nos faz um. Só ele leva a igreja a impactar o mundo.                                                                                                                                                   4. Crescimento para os lados.                                                                                                                                                                                                  A igreja precisa crescer no seu amor a Deus, na sua fidelidade à missão e na comunhão com os remidos do Senhor. Mas ela necessita crescer também na ajuda aos necessitados. Ela não vive para si mesma. Vive para Deus e para servir ao próximo, dando-lhe o pão do céu e o pão da terra. A igreja não pode desatrelar a evangelização de ação social.                                                                                                                                                         5. Crescimento para baixo. A igreja só pode crescer para cima e para os lados se crescer também para baixo. Uma árvore, quanto mais alta, mais precisa aprofundar suas raízes. Um prédio, quanto mais alto, mais seu alicerce tem de estar fincado na terra. A igreja precisa ter suas raízes plantadas no solo da graça. Tem de estar arraigada e alicerçada na palavra de Deus. Se ela for rasa e superficial, não poderá abalar o mundo. A igreja primitiva conseguiu isso; hoje é o mundo que está abalando a igreja.  Muitos crentes têm vivido sem compromisso e sem apego à verdade. Estamos vendo o florescimento de uma geração analfabeta da bíblia. Crentes rasos não podem realizar grandes coisas para Deus nem ser agentes de um crescimento saudável da igreja.                                                                                                                                                                                      CONCLUO entendendo que a igreja não é apenas um lugar aonde vamos, mas representa quem somos.
SHALON ADONAI E QUE O BOM DEUS NOS ABENÇOE EM CRISTO JESUS O SENHOR.
COMPARTILHAR:

+1

Nildo Nascimento / Pr. Gilmar Santos

Nildo Nascimento

Remidos o filme